A filosofia da ciência de Émile Meyerson nas primeiras teorizações de Jacques Lacan

Hugo Tannous Jorge, Richard Theisen Simanke

Resumo


Mesmo não se tratando de filosofia da ciência em sentido estrito, o pensamento de Lacan está repleto de reflexões típicas dessa área da filosofia. Contudo, a relação entre seu pensamento e a filosofia da ciência contemporânea à sua produção inicial – a França da primeira metade do século XX – é em geral desconsiderada ou considerada apenas de forma parcial na literatura lacaniana. Embora o filósofo francês da ciência Émile Meyerson tenha sido referido de forma explícita ou implícita na obra lacaniana, há poucos trabalhos dedicados à sua relação com Lacan. Buscando contribuir para a análise dessa relação e indicar suas possíveis implicações, trata-se aqui de examinar as convergências entre a doutrina de Meyerson em sua obra Identidade e Realidade e as produções de Lacan entre 1936 e 1953, além de discutir as condições para a apropriação lacaniana dessa doutrina. Conclui-se que essa relação permite esclarecer pontos importantes da obra inicial de Lacan, tais como o conceito de imago, a noção de verdade e a tese do antropomorfismo das ciências naturais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.