Desenraizamento e radicalização na juventude contemporânea

Lucíola Freitas de Macêdo, Ilka Franco Ferrari

Resumo


Neste artigo interrogam-se as experiências de desenraizamento e suas relações com a radicalização de jovens que aderem ao terrorismo jihadista: o que faz com que a solidão e o desamparo promovidos pelo desenraizamento, culminem na radicalização e adesão dos jovens ao jihadismo e movimentos afins? Quais as relações entre o desenraizamento, a radicalização, e as mutações do laço social na contemporaneidade? O desenraizamento e a radicalização serão problematizados tendo como ponto de partida a hipótese a de que na atualidade o ser falante se conecta principalmente ao seu próprio modo de gozo, modificando-se, assim, o seu modo de se conectar à linguagem enquanto modo de fazer laço social.


Palavras-chave


Juventude; pulsão de morte; laço social

Texto completo:

PDF

Referências


Agamben, G. (2007). Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, p.187-194.

Alberti, C. (2017, julho). Não há mais que isso, o laço social. Lacan Quotidien, n.732, 4. Recuperado em: http://www.lacanquotidien.fr/blog/wp-content/uploads/2017/07/LQ-732-C.pdf. Acesso em 12 de outubro de 2017.

Ansermet, F. (2016, novembro). “Paradoxos dos sinais discretos das psicoses ordinárias”. In: Opção Lacaniana online nova série. Ano 7, n.21. Recuperado em 10/12/2017 em http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_21/Paradoxos_dos_sinais_discretos_na_psicose_ordinaria.pdf.

Arendt, H. (2012). Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras.

Arendt, H. (2015). A condição humana. Rio de janeiro: Forense Universitária.

Arendt, H. (1999). Eichmann em Jerusalém. São Paulo: Cia das Letras.

Bassols, M. Rel i lamp/ Raíz y relâmpago. (2017, junho). Lacan Quotidien, n.714. Recuperado em 14/10/2017 em http://www.lacanquotidien.fr/blog/wp-content/uploads/2017/06/LQ-714.pdf.

Bauman, Z (2005). Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Drummond, C. (2017, setembro). Meninos maus, crianças sozinhas. VIII Encontro Americano de Psicanálise de Orientação Lacaniana. Buenos Aires. Recuperado em 10/10/2017 em http://www.asuntosdefamilia.com.ar/pt/Conversaciones/10/Cristina-Drummond.pdf.

Ferrari, I. O consumidor e a perversão (2014). Rev. latinoam. psicopatol. fundam. [online], vol.17, n.3, suppl.1, p.652-665. Recuperado em 19/12/2017 em http://www.scielo.br/pdf/rlpf/v17n3s1/1415-4714-rlpf-17-03-s1-00652.pdf.

Flusser, V. (2007). Bodenlos: uma autobiografia filosófica. São Paulo: Annablume.

Freud, S. (1976). Psicologia de grupo e a análise do ego. In Freud, S. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. (Vol. 18). Rio de Janeiro: Imago. (Obra original publicada em 1921).

Freud, S. (1975). Moisés e o monoteísmo. In Freud, S. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. (Vol. 23). Rio de Janeiro: Imago. (Obra original publicada em 1939).

Herfez, S., Leguil, C. (2017, janeiro). Le rêve d’un autre monde. Mental n.35, p. 77-92.

Lacan, J. (1991). O seminário, livro 7: a ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. (Seminário original de 1959-1960).

Lacan, J. (1985). O Seminário: Livro 20: mais, ainda. Rio de janeiro: Jorge Zahar Editor. (Seminário original de 1972-1973).

Lacan, J. (1998). Função e Campo da Fala e da Linguagem em Psicanálise. In: J. Lacan, Escritos (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. (Original publicado em 1966).

Lacan, J. (1998). De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose. In: J. Lacan, Escritos. (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. (Original publicado em 1966).

Lafer, C. (2007) A política e a condição humana. In: H. Arendt. A condição humana. Rio de janeiro: Forense Universitária, p.341-352.

Laurent, E. (2007). Paixões religiosas do falasser. In: Opção Lacaniana. São Paulo: Edições Eolia, p. 33-45.

Laurent, E. (2016, junho). Das crises identitárias aos triunfos das religiões. In Curinga. Belo horizonte: Escola Brasileira de Psicanálise – Seção Minas Gerais, n.41, p.83-109.

Laurent, E. (2014, janeiro). Le racisme 2.0. In: Lacan Quotidien, n.371. Recuperado em 16/12/2017 em http://www.lacanquotidien.fr/blog/wp-content/uploads/2014/01/LQ-371.pdf.

Levi, P. (2004). Os afogados e os sobreviventes. São Paulo: Paz e terra.

Macêdo, L. (2014). Primo Levi, a escrita do trauma. Rio de janeiro: Subversos.

Macêdo, L. (2015a). A biopolítica e as novas segregações. VII Encontro Americano de Psicanálise de Orientação Lacaniana. São Paulo. Recuperado em 14/10/2017, em http://oimperiodasimagens.com.br/pt/faq-items/a-biopolitica-e-as-novas-segregacoes-luciola-freitas-de-macedo/.

Macêdo, L. (2015b). Primo Levi e o testemunho do trauma. Cadernos de Psicanálise. Rio de janeiro: A Sociedade, v.31, n.34, p.49-63.

Macêdo, L. (2107a). Juventude e trauma: a experiência de desenraizamento. In Brown, N., Macêdo, L., Lira, R. (Orgs.) Trauma solidão e laço na infância e na adolescência, experiências do Cien no Brasil. Belo Horizonte: EBP Editora, p.165-180.

Macêdo, L. (2017b). Lacan e a segregação. In Curinga. Belo Horizonte: Escola Brasileira de Psicanálise – Seção Minas Gerais, n.44, p.36-43.

Miller, J-A. (2010, novembro) “Efeito do retorno à psicose ordinária”. In: Opção Lacaniana online nova série. Ano 1, n.3. Recuperado em 12/10/2017, em http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_3/efeito_do_retorno_psicose_ordinaria.pdf. Acesso em 12/10/2017.

Miller, J-A. (2003). La psicosis ordinária: La conveción de Antibes. Buenos Aires: Paidós.

Miller, J-A. (2017, maio). Conferénce de Madrid. Lacan Quotidien, n.700. Recuperado em 27/10/2017 em http://www.lacanquotidien.fr/blog/wp-content/uploads/2017/05/LQ-700-5.pdf.

Ramirez, C. (2017, junho). As novas faces da segregação. Lacan Quotidien, n.714. Recuperado em 14/10/2017 em http://www.lacanquotidien.fr/blog/wp-content/uploads/2017/06/LQ-714.pdf.

Roy, O. (2015, novembro). Le djihadisme, est une révolte générattionnelle et nihiliste. Le Monde. Recuperado em 12/12/2017 em http://www.lemonde.fr/idees/article/2015/11/24/le-djihadisme-une-revolte-generationnelle-et-nihiliste_4815992_3232.html


Apontamentos

  • Não há apontamentos.